Cadastre-se em nosso boletim semanal

Nome:
Email:
Cadastre-se e receba as atualizações do site

Dimensões do Centro Espírita

Desde o início das manifestações ostensivas e sistemáticas dos Espíritos, que deram origem às investigações do prof. Rivail (Allan Kardec) e à Doutrina Espírita, os interessados nos fenômenos e suas consequências se reuniam em grupos, inicialmente nas casas dos participantes. Com a diversificação e ampliação das atividades, as mesmas passaram a ser realizadas em locais próprios a seus objetivos.

Nos centros espíritas, hoje disseminados em vários países, principalmente no Brasil, cumprem-se várias tarefas para o progresso e a melhoria da qualidade de vida do ser humano e da sociedade em geral. Com o desenvolvimento da Doutrina Espírita, em seu caráter progressivo e evolutivo, as atividades dos centros vêm ganhando maior relevância e abrangência.

Dentre inúmeros aspectos, eis alguns dos papéis que, em nossa opinião, o centro espírita pode desempenhar na condição de sede das atividades doutrinárias:

TEMPLO – existe na casa espírita e nas suas práticas indubitavelmente o caráter religioso, obedecendo aos princípios e postulados da Codificação, com sua base evangélica, despojado de cerimônias, rituais ou fórmulas iniciáticas. Nos centros se aprende e pratica a oração habitual, antes, durante e após as atividades, como forma de elevar o padrão vibratório, purificar os participantes e o ambiente e receber forças renovadoras para todos os labores. Além da prece, o estudo e a prática dos ensinamentos de Jesus são a essência da própria Doutrina.

ESCOLA – o centro espírita é, seguramente, uma escola de corações, mentes e almas, na qual são ensinados, através de livros, palestras, cursos, seminários e mensagens mediúnicas, conteúdos de inestimável valor para a educação integral dos seus frequentadores. O principal método pedagógico deve ser a conduta e o exemplo de vida dos seus membros. Para quem possui faculdades mediúnicas mais ou menos desenvolvidas, os cursos, reuniões e sessões propiciam a educação da mediunidade pela educação do médium, que aprende a usar seus recursos parapsíquicos com sabedoria e amor.

OFICINA – sem dúvida, a instituição espírita se converte em oficina de trabalho, na qual aquele que deseja servir encontra instrumentos e condições facilitadoras das mais diversas práticas beneficentes. Trabalha-se com o material humano, renovando sentimentos, pensamentos e ações, em si mesmo e no auxílio aos demais seres. O trabalho espírita não fica na teoria, pois seus fundamentos e sustentáculo são a prática sistemática da caridade, que é o amor em ação (Joanna de Ângelis – Espírito).

HOSPITAL – para aqueles que se encontram em desequilíbrio, conflito íntimo e até desespero (inclusive e principalmente de origem obsessiva), o centro espírita é bem estruturado para acolher, orientar, cuidar e auxiliar no restabelecimento da saúde integral, sempre complementando e respeitando as práticas terapêuticas oficiais. Nos planos sutis das casas espíritas, além da matéria densa, existem hospitais e ambulatórios onde trabalhadores desencarnados atendem aos necessitados dos dois planos da vida. Muitos encarnados são para lá levados em desdobramento (ou viagem astral) durante o sono para serem tratados.

LABORATÓRIO – pelo conteúdo que se aprende no núcleo espírita, tem-se a proposta de vivê-lo fora da instituição, no dia a dia, exercitando valores, atitudes e condutas em cada experiência humana. Nas atividades mediúnicas, verdadeiro laboratório vivo entre dois mundos, os participantes são ao mesmo tempo experimentadores e observadores de si mesmos e dos fenômenos de que tomam parte. O objeto de pesquisa é a vida, nos seus aspectos transcendentes, e as leis estudadas são as de natureza moral. Nesse laboratório, o centro espírita, através dos instrumentos de que dispõe, é catalisador de transformações morais, sublimação de sentimentos e purificação interior.

PORTAL – um portal, do ponto de vista espiritualista, é abertura ou passagem entre diferentes dimensões, uma transição entre planos vibratórios. Ao entrar no centro espírita cada um é convidado a penetrar em seu mundo íntimo e alcançar dimensões transcendentes da vida, aprofundando sua percepção da realidade e descobrindo novas possibilidades de ser e agir. O centro espírita é um portal interdimensional, pelo qual seres de diferentes esferas da vida se comunicam, ampliando a fraternidade além das fronteiras do mundo material. Através do portal da mediunidade, barreiras são rompidas e véus são retirados, prenunciando nova fase da humanidade em que habitantes dos diferentes planos conviverão em harmonia e comunhão de amor.

ABRIGO – com suas portas abertas a quem quer que seja, sem qualquer distinção ou preconceito, acolhendo a todos em nome do amor, o centro espírita é um abrigo seguro que muitos buscam para se refugiarem temporariamente das tribulações da vida, até que recobrem as forças para retomarem as tarefas e experiências necessárias à própria libertação.

O centro espírita significa e faz muito a quem o procura. Cabe a cada um que dele se beneficia perguntar a si mesmo: qual é o meu papel e função no centro que frequento? Minha condição é a de aprendiz sincero e devotado? Estou vivenciando minha transformação? Levo para fora do centro e dou testemunho daquilo que aprendo dentro dele? Já consigo sentir a alegria de colaborar e servir?

Curta e Compartilhe esse artigo no Facebook!

Mais artigos deste autor