Cadastre-se em nosso boletim semanal

Nome:
Email:
Cadastre-se e receba as atualizações do site

O Homem e o Mundo – Responsabilidade e Destino

A Natureza, como criação divina, funciona segundo leis e princípios precisos, que a ciência humana vem desvendando ao longo dos tempos. Além das leis físicas, muitas das quais já conhecidas, existem as que pertencem a níveis mais sutis, igualmente naturais e perfeitas. Muitas dessas leis só agora começam a ser estudadas e desveladas pelos movimentos espiritualistas.

A lei de causa e efeito (também conhecida como lei do carma) expressa os ditames Divinos de equilíbrio e justiça, inclusive na realidade material da vida, funcionando em obediência à harmonia universal. Como as consequências das ações nem sempre são imediatas, muitas ocorrências parecem, a uma análise superficial, casuais ou fortuitas. Isso porque a visão humana ainda é estreita para abarcar a vida transcendente e seus mecanismos.

Os fenômenos da vida estão todos interligados, em interconexão nas inúmeras dimensões da Criação.

As ações humanas, como parte integrantes da Natureza, provocam efeitos específicos a se expressarem imediata ou tardiamente. O homem ainda está longe de compreender a repercussão de seus atos sobre si mesmo, o ambiente que o circunda e o planeta.

Nos planos psíquicos as leis naturais operam com a mesma precisão e perfeição do plano físico. Os pensamentos, sentimentos e palavras gerados pelo homem produzem, em seus planos respectivos, energias próprias, as quais, como a água evaporada que se condensa nas nuvens, se aglutinam e se unem a outros aglomerados, por afinidade vibratória.

Cada pensamento, palavra, emoção ou ação, se destrutivo, produz ou mobiliza energias com o teor vibratório correspondente. Com o tempo, essas energias aglutinadas como “nuvens”, carregam a psicosfera do ambiente, deixando-o cada vez mais contaminado e intoxicante. Muitas pessoas, principalmente quando vulneráveis ou invigilantes, sentem intensamente essa carga energética como impressões penosas e desagradáveis. Aqueles que, por opção, vibram em padrões desarmônicos, atraem essas energias e as amplificam, contaminando-se e ao meio em que vivem.

Quando o acúmulo dessas energias destrutivas atinge um ponto de saturação, como na chuva física, ocorre uma descarga para o plano material, em um ciclo de retorno para onde tudo foi gerado. Essa descarga, quando intensa, pode surgir na eclosão de fenômenos como terremotos, inundações, secas, epidemias, fome, guerras, convulsões sociais, etc.

Assim, uma guerra, por exemplo, não é apenas um conflito repentino entre povos que até então viviam em paz. É o resultado de um longo acúmulo de energias destrutivas (ódios, preconceitos, intolerância, agressões, ofensas...), cultivadas pelos povos durante muito tempo. Ao longo de várias reencarnações, cada um, com a própria vida, contribui mais ou menos com as vibrações que culminam em uma guerra ou qualquer outro evento destrutivo.

Os vários fenômenos devastadores que ocorrem no mundo têm uma contribuição importante da conduta humana. São o resultado de um processo de geração, acúmulo, saturação e descarga de energias em diferentes planos da vida, pela lei do retorno. Assim, tem o homem grande cota de responsabilidade por tudo o que ocorre no planeta, pois vem semeando, ao longo da história, seu próprio destino, individual e coletivo, com suas ações, mas também com o que diz, pensa e deseja.

Tudo o que é gerado na vida do homem é indelevelmente registrado e se torna elemento de construção ou destruição da realidade externa. A Terra na atualidade passa por crise sem precedentes, saturada de energias densas que precisam de urgente e intensa purificação, em vista do processo de transformação do nosso planeta em mundo de regeneração.

Com uma visão mais ampla e holística da vida, dos fenômenos e das leis que os regem, a partir do Espírito, compreendemos que para evitar e prevenir catástrofes, epidemias e guerras não bastam medidas tecnológicas, campanhas médicas ou tratados políticos, mas essencialmente a purificação e educação integral do homem-espírito, para que gere vibrações harmônicas e criativas. Essa é uma das bases da edificação do mundo novo que almejamos.

Quando a consciência espiritual desperta, passa a fazer uso responsável e digno das faculdades de que é dotada como criatura divina. A mente passa a ser vigilante, os pensamentos positivos e iluminados pela sabedoria; os sentimentos originam-se no amor; as palavras se tornam veículos de paz, harmonia e beleza em criações felizes; as ações expressam a Vontade Divina no plano material.

Nos mundos mais evoluídos que a Terra o equilíbrio da natureza, a paz, saúde e felicidade existentes refletem e expressam a pureza de conduta dos seus habitantes e sua harmonia com as Leis Divinas. O mundo externo revela a consciência de seus habitantes. Cada ser vive no plano que lhe corresponde à realidade interior (exceto os missionários que estagiam em níveis inferiores a serviço do amor).

Quando decidimos colaborar para um mundo melhor para todos, começamos purificando nosso próprio interior, com oração, meditação, vigilância e serviço, e sentimos a alegria de nos integrar como colaboradores e co-criadores da Nova Era planetária.

Cabe a cada um a responsabilidade das próprias criações, sabendo que somos protagonistas do destino, responsáveis pelo mundo em que vivemos, e construtores do amanhã feliz, desde o aqui e agora.

Curta e Compartilhe esse artigo no Facebook!

Mais artigos deste autor